quarta-feira, 17 de julho de 2013

Página 19

Eu entrei na sala, acompanhado dos meus amigos que cumprimentaram Ubirajara e os outros que ali estavam. Como não poderia ser diferente, um dos integrantes daquela reunião se destacou diante dos meus olhos: era Humberto, um homem alto, negro, de boa aparência e que usava um terno cinza claro e uma gravata azul. Seu sorriso era branco como a espuma do mar. Ubirajara pediu para que nos sentássemos e disse-me: – Ortêncio, este é o irmão de que lhe falamos. Como você já sabe, ele vem da cidade Nascidos em Cristo, uma comunidade dedicada àqueles que na terra professavam a fé protestante, e aqui fará parte dos nossos estudos e partilhara conosco suas experiências para que com ele também possamos aprender. Humberto sorriu e disse-me: – Paz em Cristo, Ortêncio! É um prazer conhecer esta cidade e principalmente aqueles que se propõem a levar aos filhos de Deus notícias do além. Nossa cidade, infelizmente, ainda não pode fazer isso abertamente e esclarecer nossos irmãos como os espíritas e umbandistas já o fazem. – É um prazer Humber..., quer dizer, irmão Humberto. Todos riram e Humberto respondeu-me: – Não se preocupe com o irmão, amigo. Aqui já não temos que nos preocupar com isso e sei também que não é fácil, depois de tanto tempo na terra sendo atacado e atacando protestantes, não é fácil, chamar de irmão o primeiro que você encontra aqui. Isso foi falado pelo irmão em tom de brincadeira, pois ele se mostrava com grande senso de humor, apesar de sua seriedade. Parecendo ler meus pensamentos Ubirajara disse-me: – Ortêncio, os protestantes também têm seus mensageiros, pois Deus é justo e não permitiria que isso fosse um privilégio de uma ou de outra religião. Porém, para eles as mensagens vêm de outras formas, pelas músicas e livros que inspiram a reforma íntima e uma conduta com mais amor e menos rigidez. Veja, por exemplo, o crescimento do movimento gospel e de outras frentes de trabalho dentro do movimento protestante. Evidentemente, isso vem sendo feito sutilmente, pois cada coisa em seu tempo. Humberto acrescentou: – Ortêncio, estamos trabalhando agora para que nossos irmãos na carne se abram para a caridade, independentemente da religião do outro ou de suas opções na vida. O Brasil é um país em que a maioria da população é seguidora do cristianismo e isso vem facilitando nosso trabalho. – Não queremos mudar nenhuma religião ou filosofia, mas é necessário que as humanizemos para que atinjam seu verdadeiro objetivo: o de tornar o homem um espírito melhor. Então, quem falou foi o guardião Gabriel, que também fazia parte desta reunião: – Porém, além de lidarmos com a ignorância daqueles que estão no corpo, a todo momento os que são contra a causa do mestre maior vêm criando novos planos para combater o progresso, por isso é que a cada dia temos que nos dedicar cada vez mais e organizar nossas frentes de trabalho, orientando e protegendo da melhor forma aqueles que nos representam na terra. Eu apenas observava e tentava aprender da melhor forma possível. Foi quando João disse: – Graças ao Pai, estamos vendo um grande avanço em muitas questões, porém, muito há de ser feito ainda. Vamos então passar ao nosso principal assunto nesse nosso encontro. Ortêncio é ainda um espírito sem grandes conhecimentos e necessitará, juntamente com nosso Irmão Humberto, de toda nossa dedicação e proteção nessa viagem que empreenderemos à crosta terrestre. Por essa razão pedi que a Legião de Ogum juntamente com a Legião do Guardião nos mandassem seus melhores espíritos no quesito proteção. Também necessitaremos que nossa equipe tenha armas e equipamentos necessários para que atravessemos as zonas umbralinas, de energias densas. Pedimos que a Legião de Omolu nos ceda uma equipe de pretos velhos e enfermeiros e que a Legião de Oxóssi nos ofereça alguns de seus guerreiros. Em especial gostaria que o índio Cobra coral, da terceira legião, e o Índio Pena branca, da quarta, nos acompanhassem. Ubirajara apenas ouvia os pedidos do Preto Velho e lhe respondeu: Meu amigo João, eu também gostaria que participasse de sua comitiva Maria, da legião de Iemanjá e Janaína, que, com certeza, muito ajudarão e ainda Eric, da sétima de Omolu, que, juntamente com você, será responsável por esta comitiva. Tanto você, Ortêncio, como você, Humberto, que vão participar desta missão na qualidade de aprendizes e repórteres, eu desejo que aprendam e relatem cada detalhe, pois todos eles serão muito importantes para vocês. Então, que fique estabelecido que, daqui a cinco dias, esta comitiva de socorro e estudo, denominada Mensageiros de Aruanda, partirá em nome de Jesus e Oxalá, em prol do amor e do progresso. Nesse momento meu coração disparou, pois somente então percebi que, depois de doze longos anos, eu voltaria à terra...

3 comentários:

  1. Com que frequencia voce escreve?...Estou simplismente apaixonada pelo blog e pela narrativa, estou numa fase da minha vida descobrindo minha mediunidade e sinceramente tenho alguns conflitos. Adorei a historia e aguardo ansiosamente pela continuação.
    Que Deus abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nathalia, ficamos muito feliz que você esteja gostando do nosso livro,agradecemos a vibração de Amor,escrevemos com o mensageiro 2 vezes por semana,e o conselho para quem esta descobrindo sua mediunidade é que estude sempre que busque e principalmente confie em Deus rna espiritualidade...até

      Excluir
    2. Olá, estamos de volta através do link:
      mensageiro-de-aruanda.blogspot.com.br

      Excluir